Voltar

Eu um empreendedor de sucesso - Feltros Santa Fé

18 de março de 2013Publicado por: Santa Fe

Eu um empreendedor de sucesso

Há muitas pessoas dizendo que não é possível aprender como se tornar um empreendedor, que o empreendedorismo é algo que está relacionado com as características individuais de cada um e, assim, alguns têm a felicidade de nascer com essa capacidade enquanto que outros não. Esta teoria pode ter alguma base de sustentação, mas não está nada correta. É verdade que algumas pessoas nascem com uma maior propensão para saber como ser um empreendedor individual do que outras, mas isso não é assim tão simples e linear. Se entre suas resoluções para o ano de 2013 estiver a meta de tornar o seu trabalho em um negócio lucrativo, fique atento às dicas do professor Marcelo Nakagawa, coordenador do Centro de Empreendedorismo do Insper. “O processo de abrir um negócio varia muito entre as empresas, mas pode levar de seis meses a um ano, dependendo do tipo de negócio”, afirma. Veja, a seguir, as dicas de Marcelo Nakagawa. 
 Misture-se a outros empreendedores. Há encontros de empreendedorismo em muitas cidades. Essas reuniões são essenciais tanto para quem já tem um negócio quanto para os que procuram inspiração para abrir uma empresa. É nelas que você poderá encontrar sócios, parceiros e clientes, além de ouvir histórias de sucesso e fracassos – essenciais para quem está no começo.  Seu preparo psicológico poderá ser até mais importante que o planejamento estratégico. Ele varia muito de pessoa para pessoa, mas fique atento a pontos essenciais, como a dependência do trabalho em grupo, a estabilidade financeira, o peso da vida pessoal etc. É essencial buscar, pelo menos, um ou dois mentores e fazer reuniões a cada dois ou três meses para conversar sobre como vai a vida empreendedora e também a pessoal. Na ânsia de fazer o negócio se tornar realidade, muitos empreendedores abrem mão de suas vidas pessoais. Os mentores podem ajudá-lo a permanecer com os pés no chão e balancear as necessidades do negócio e de sua vida fora dele.  

Aprenda a planejar o negócio. Para fazer isso, há duas formas principais, uma para negócios tradicionais (offline) e outra para os digitais. Se sua empresa oferece um produto ou serviço que já existe, comece traçando um plano de negócios. Com ele, tudo ficará mais claro. Se o negócio for virtual, será preciso iniciar por uma forma simplificada do que você pretende oferecer. Assim será possível sentir o mercado e planejar, testando diretamente o protótipo (ou a fase beta do negócio). Dessa forma mais interativa, também será possível receber mais retorno de clientes e usuários do produto ou serviço.  Tente (pelo menos!) fazer uma previsão do fluxo de caixa do negócio. De quanto você vai precisar para abrir o negócio? Depois de quanto tempo o caixa deverá se tornar positivo? Isso é essencial para se planejar financeiramente, especialmente se você tiver muitas contas para pagar e for o principal suporte financeiro da família. Esteja preparado para enfrentar as dificuldades iniciais e não desistir facilmente de uma boa ideia por precisar voltar a ter um salário. Se seu perfil for o de uma pessoa que só consegue ter sossego com um bom saldo na conta bancária, aumente a poupança enquanto tiver um salário fixo, por exemplo, para se sentir mais seguro depois. 

  Divida seu tempo. Antes de começar o negócio, sente com sua família e tenha uma conversa franca. Prepare-se (e prepare-os) para o período até o ponto de equilíbrio da empresa (quando ela sai do vermelho e começa a, pelo menos, não dar prejuízo). Tenha claro que essa fase será de muito trabalho (sabe aquela história de 100% transpiração? É bem por aí!) e que você terá pouco tempo para se dedicar à família e aos amigos. Toda essa preparação faz parte do investimento emocional de empreender. Depois que o negócio andar com as próprias pernas, equilibre sua vida pessoal e profissional. Empreendedor também precisa ter descanso, tirar férias... Use a sazonalidade do negócio, por exemplo, para tirar dias de folga, viajar com a família e relaxar.  

Interaja com seu mercado consumidor. Isso é essencial sempre, mas, especialmente, nos primeiros seis meses, durante a elaboração do seu plano de negócios ou do protótipo de seu produto, vá a feiras e eventos voltados ao seu público, converse com as pessoas, mostre seu projeto.  Busque inspiração constante. Se você quer ser empreendedor, precisa gostar de negócios. Busque informações sobre grandes empresas e empreendedores que você admira. Vá a feiras e congressos nacionais e internacionais, leia sobre o assunto. A inspiração pode vir até da concorrência, mas não apenas dela. Procure referências em áreas diferentes da sua. Os donos do Starbucks, por exemplo, se espelharam no design da Apple, na inovação da Nike, na logística da Zara, e na experiência de ambientes da Walt Disney Company. Aprendendo com os exemplos de outros, você, certamente, se sentirá mais motivado. [col2]DICA-DE-MESTRE-chrys-altran [/col2][col2]Dica - Chrys Altran Lembro que quando eu comecei o orçamento para compra de materiais era bem pequeno. Praticamente usava tudo o que recebia das encomendas em compra de material. Era tudo contado, os carretéis de linhas, o metro do feltro (eu comprava em uma loja que vendia a partir de meio metro e também retalhos, e isso ajudava muito), tintas e enchimentos...

No início, eu não tinha muito capital de giro para investir em diversidade de materiais, e muito menos em máquinas de costura, ou outros equipamentos. E isso me chateava, porque eu queria mais! Eu queria novidades, queria ter variedades de matéria- prima para usar como minha criatividade quisesse! Queria ter muitas cores de linhas, queria ter uma prateleira lotada de tecidos, queria muitos, muitos metros e cores de feltro! Afinal, que artesã não quer ter um super estoque ou muitas variedades de materiais à sua disposição só esperando para ser usado? 
Mas o que me ajudou a manter o pé no chão foi a realidade da situação. [/col2] Eu não tinha dinheiro suficiente para comprar materiais em quantidade e diversidade. Eu sabia que não podia gastar mais do que recebia e isso foi o que me ajudou a seguir em frente. Sempre comprava materiais que sabia que iria usar, assim não seria dinheiro gasto em materiais que ficariam parados na prateleira. Eu sei que é dificil resistir àquele tecido lindo ou ao botão super caro, mas não adianta comprar se não estiver certa de que poderá usar logo em alguma encomenda. 
Mesmo hoje, esse senso me ajuda muito quando preciso investir em máquinas ou outros materiais caros, que não me darão retorno financeiro rapidamente. 

Então, a dica que quero dar a vocês na verdade é mais como uma nova forma de pensar antes de gastar seu orçamento: pense se o dinheiro que irá gastar será recompensado com as vendas das peças que você irá fazer utilizando esse material ou esse equipamento. Se a resposta for negativa, infelizmente, esse material ainda não vale a pena ser comprado. 

 Sempre pensei que não era uma boa ideia ficar no vermelho para comprar um equipamento para o ateliê ou um material super caro que eu não tenho certeza de que o retorno financeiro compensará o gasto. Agora, se você tem um capital de giro e pode investir, minha dica é avaliar sua REAL necessidade,  ver se esse material ou esse equipamento será mesmo bem utilizado, porque, mesmo que você tenha dinheiro para gastar, não vale a pena comprar o equipamento se ele será usado uma única vez. 

É isso aí. E nada de deixar de criar porque você não tem aquele botão da moda, ou aquela cor de feltro da revista. Coloque a criatividade para trabalhar, utilize os materiais que você tem em casa, compre o que está de acordo com suas condições e invista na qualidade de seu trabalho! Com certeza, os frutos serão colhidos, você terá novas encomendas, e seu orçamento aumentará. Desistir, NUNCA! Acredite em você e em sua capacidade!
[infobox_feature]Existem cursos, palestras e seminários que conseguem fazer com que uma pessoa comum, com um nível de formação baixo, possa saber produzir e desenvolver um plano para tornar-se um empreendedor individual. Alguns destes cursos são gratuitos e ministrados pela Internet, facilitando, assim, o acesso a todas as pessoas que tenham vontade de aprender a empreender. Para que o foco não se perca e que você tenha condição de dar continuidade na sua meta de ser Um Empreendedor Individual De Sucesso, indicamos um curso de treinamento nesta área, independentemente das capacidades que julgue que tenha ou não.  O SEBRAE é um grande parceiro, inclusive para dar o primeiro passo. Curso: Gratuito e Online Aprendendo a empreender - no link você terá detalhes do conteúdo e todo o trâmite necessário para se inscrever imediatamente. Link: http://bit.ly/ZUCxOO[/infobox_feature] Relaxar aprendendo – hummm estamos precisando mesmo, né? Separamos dez filmes que todos os empreendedores deveriam assistir. São mensagens diretas e indiretas, atitudes lícitas (e, às vezes, nem tanto), e que mostram a atuação no mundo dos negócios. Prepare sua pipoca e inspire-se com a lista abaixo, a qual é composta por filmes mais recentes e outros tirados do fundo do baú. 
 1. O homem que mudou o jogo (2011)  
Longe de ser um filme sobre esporte, O homem que mudou o jogo mostra como o treinador Billy Beane (Brad Pitt) fez o Oakland Athletics se destacar na liga nacional de beisebol. A grande sacada de Beane para fazer isso foi analisar estatísticas da equipe, que tinha a menor folha salarial entre as competidoras.  

2. A rede social (2010)  
A rede social conta a história de Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), o fundador do Facebook, mostrando a criação da rede dentro da universidade Harvard, em 2003. Mostra sua controversa relação com outros fundadores, como o brasileiro Eduardo Saverin (Andrew Garfield), e com empreendedores, como Sean Parker (Justin Timberlake), o primeiro presidente do Facebook.  

3. Quem quer ser um milionário (2008)
 Um dos maiores sucessos recentes do cinema indiano, Quem quer ser um milionário mostra o jovem Jamal Malik (Dev Patel) num famoso programa de perguntas e respostas na TV. Jamal busca, em sua própria história, marcada por uma infância miserável e violenta, as respostas para as questões propostas pelo apresentador. É um exemplo de busca de força interior, algo essencial para empreendedores. 

4. À procura da felicidade (2006) 
 Em À procura da felicidade, Will Smith interpreta Chris Gardner, um pai de família com problemas financeiros. Tantos que sua mulher sai de casa, deixando o filho Christopher (Jaden Smith), de 5 anos. Chris consegue um estágio não-remunerado numa corretora de valores, mas não consegue dar conta das despesas da casa. Com isso, ele e o menino acabam dormindo em abrigos e estações de trem. É um grande exemplo de que, se você tem um sonho, não deve desistir de alcançá-lo.  

5. Piratas da informática (1999) 
 Um clássico entre os apaixonados por tecnologia, Piratas da informática também é conhecido como Piratas do Vale do Silício. O filme mostra o começo de duas das principais empresas de tecnologia do mundo, a Apple e a Microsoft. Retrata as brigas de bastidores entre Steve Jobs (Noah Wyle) e Bill Gates (Anthony Michael Hall), a concorrência entre as companhias e sua importância no setor.  

6. Jerry Maguire – A grande virada (1996)  
Depois de uma crise de consciência, o bem-sucedido agente esportivo Jerry Maguire escreve um documento defendendo que os agentes deveriam cuidar da carreira dos atletas de forma mais humana, ainda que isso significasse ganhar menos. Depois disso, acaba sendo demitido da consultoria na qual trabalhava e perde seus clientes, à exceção do jogador de futebol americano Rod Tidwell (Cuba Gooding Jr). Jerry Maguire – A grande virada é um filme que mostra como é possível vencer depois de um fracasso. 

 7. Tucker – Um homem e um sonho (1988) 
 Baseado numa história real, o filme mostra a trajetória de Preston Tucker (Jeff Bridges), um empreendedor que tinha o sonho de criar um carro à frente de seu tempo. Depois da Segunda Guerra Mundial, ele construiu o Trucker Torpedo, um carro mais seguro e veloz que os concorrentes da época. O projeto, no entanto, não deslanchou, pois sofreu com o lobby da indústria automobilística americana.  

8. O segredo do meu sucesso (1987) 
 O jovem Brantley Foster (Michael J. Fox) deixa uma cidadezinha no Kansas para tentar o sucesso em Nova York. Ao chegar lá, as coisas não saem como planejadas e ele se vê obrigado a pedir um emprego ao tio, Howard Prescott (Richard Jordan), que controla uma empresa milionária. Como o trabalho é modesto, Brantley, decide levar uma vida dupla, criando uma personagem chamada Carlton Whitfield, um executivo de ideias brilhantes, mas que ninguém sabe de onde veio.  

9. Wall Street – Poder e cobiça (1987) 
 Wall Street – Poder e cobiça mostra que, se você quer ser bem-sucedido, precisa enfrentar riscos. Bud Fox (Charlie Sheen) é um corretor ambicioso que trabalha no mercado financeiro. Certo dia, dá ao bilionário Gordon Gekko (Michael Douglas) algumas informações sigilosas e acaba se tornando seu discípulo, abrindo mão de ética, valores e escrúpulos para ter sucesso. 

10. O Poderoso Chefão (1972)  
A clássica trilogia dispensa muitas recomendações e mostra a trajetória da família Corleone e seus negócios ilícitos. Mostra as vantagens e as desvantagens de empreender “em família”.
Queremos que você se anime para mudar e lembre-se de dar apenas um passo por vez. Vamos conseguir tempo para melhorar profissionalmente e para nos realizarmos no artesanato. Conte com a gente e não deixe de nos contar novas ideias, dúvidas e sugestões sobre sua experiência empreendedora. Nos encontraremos dia 22/03 com o tema: Porque o artesanato é tão procurado? Super abraço pra você! Bibi Soares [infobox fullwidth="false"]E como não poderia deixar de ser, a Chrys Altram preparou com todo carinho uma linda exclusividade para que você, nosso parceiro de blog e de Festival da Lembrancinha. Baixe agora mesmo o passo a passo da linda Coelha porta bombom. [button href="http://bit.ly/ZUGEKF" label="Baixar" color="white" icon="download" newwindow="true" ] [/infobox] [col4]chrysaltran-perfil[/col4][col2]Participação de Chrys Altran Artesã técnica em design gráfico, ganhadora do Prêmio Artesão do Ano 2010 - Categoria Feltro. Participa de gravações em programas sobre artesanato, passo a passo em revistas e ministra cursos particulares. E-mail: chrysaltran@yahoo.com.br Site: www.chrysaltran.com.br Fanpage: http://on.fb.me/WyBJQV Twitter: https://twitter.com/chrysaltran[/col2] [col2]Fontes: Marcelo Nakagawa.  Pequenas Empresas Grandes Negócios http://bit.ly/WyBHIN SEBRAE[/col2]

Contato

Av. Antônio Bardela, 780 - Cumbica - Guarulhos - SP | CEP 07220-020
Telefone: (11) 2487-4255 / Atendimento de segunda a sexta das 8 às 18h

SAC

sac@feltrossantafe.com.br
0800.777.2530

Redes Sociais

Importante

A reprodução fotográfica das cores dos produtos no site podem sofrer variações em monitores diferentes.

CNPJ: 60.730.512/0001-35

© Todos os direitos reservados | Feltros Santa Fé
Desenvolvido por Produtiva Web&Design.