Caravana do Feltro Santa Fé – 2ª FASE
março 25, 2013
Rio Artes Manuais – 2013
março 28, 2013

Vender mais com menos margem OU vender menos com mais margem de lucro?

Vamos introduzir o conceito de Valor Agregado, de uma forma bem didática, para que você possa desenvolver o método que melhor se aplica à sua realidade.

Valor agregado é quando se acrescenta ao produto uma nova funcionalidade, permitindo que lhe seja acrescentado um valor no preço final.
À primeira vista parece um ótimo negócio, certo? O produto criado passa a ser mais funcional, portanto o lucro aumenta sem que exija um aumento de produção, um novo investimento de tempo. Alguns logo imaginam: “Trabalhar menos ganhando mais!”
Porém nem sempre é o mais interessante. Para investir em um produto com maior valor é preciso verificar a aceitação.

Será que seus clientes vão aceitar pagar o “novo” preço. Será que estão buscando esta nova funcionalidade?

Para que você possa aplicar este princípio é necessário um estudo de venda direcionada e qualificada. Você deverá entender o que o seu cliente procura e oferecer para ele a melhor opção dentro do seu portfólio.
E por outro lado, estudar para qual público você vai direcionar o seu produto de valor adicional.
Desta maneira e dependendo do resultado de seu estudo, quem sabe você possa responder nossa primeira pergunta da seguinte forma: Posso vender mais com menos margem E vender menos com mais margem de lucro. Planeje sua estratégia de vendas com conhecimento dos seus números: seu faturamento, seus custos, seu lucro; pois eles serão o ponto de partida do seu planejamento.
Lembre-se que o foco da sua produção é o seu CLIENTE. É a ele que você quer satisfazer. O produto tem que ser pensado nas necessidades dele.
Mas não é só no produto que se atêm o interesse do cliente. De posse do produto certo, para o mercado certo, você já garantiu grande parte do seu sucesso. Porém a dedicação ao cliente exige mais.

Veja a Dica de Mestre de Alessandra Mattos que nos mostra todo o cuidado desde a produção do produto, buscando a maior satisfação do cliente:
[col2]DICA-DE-MESTRE-alessandra[/col2][col2]Veja a experiência de Alessandra Mattos
Com 18 anos no mercado artesanal, vejo com alegria muitas artesãs iniciando o trabalho manual com o feltro, e buscando o aprendizado e profissionalização.
O feltro é um não-tecido, ou seja, ele não é tramado e sim prensado, por isso conseguimos cortá-lo em qualquer direção sem que desfie.
É formado por fibras sintéticas e reciclagem de garrafas PET, ou seja, um material acessível e ecológico.
No caso específico do Feltro Santa Fé, tem maior resistência ao atrito e ao desbotamento, com cores lindas e preço convidativo.
A técnica para o trabalho artesanal com feltro é simples e baseia-se em etapas de Desenho – Corte – Costura – Colagem – Finalização.
Dedicando-se com esmero em cada uma dessas etapas, o produto final ficará mais bem feito, será mais valorizado e certamente o cliente ficará satisfeito com sua compra.[/col2]
Gostaria de citar algumas dicas práticas para obter os melhores resultados nessas etapas; cada artesã encontrará seu próprio jeitinho de executá-las, mas creio que os erros e acertos de uma beneficiam a todas as outra. Aprendemos muito com a experiência das outras pessoas.
 
1º – Desenho
O trabalho com o feltro é figurativo, e necessita de moldes ou riscos para conseguirmos as formas desejadas. Como sou ilustradora e desenhista, muitas vezes desenho diretamente sobre o feltro, foi assim que comecei meu trabalho com feltro, transformando minhas ilustrações em mimos, dolls, toys e lembrancinhas.
A artesã pode riscar o contorno do molde desejado com caneta permanente, lápis HB, caneta gel ou caneta para bordado (que evapora após um tempo); lembrando de cortar dentro do risco para que o mesmo não apareça. Esse é um detalhe importante e já garante uma borda limpa para a costura.
 
2º- Corte
A etapa de corte é muito importante, pois dá a forma final que a peça será costurada ou colada. Indico ter 2 tesouras de aço inoxidável (mais resistentes á corrosão, e com maior durabilidade do fio de corte), uma tamanho médio e uma tamanho pequeno, pontudas e com parafuso para segurar as lâminas. Quando cortamos 2 ou mais camadas de feltro juntas as lâminas sofrem um ligeira folga e podemos ajustá-las apertando o parafuso. Use essas tesouras apenas para o trabalho com feltro, não utilize-as para cortar papel ou tecido, isso garante que elas não mastiguem o feltro por um bom tempo, acreditem!
O ideal é afiá-las com amoladores profissionais, pois eles têm as máquinas apropriadas para essa função, mas para uma emergência passe uma lixa de unha na diagonal de toda a extensão da lâmina, observando a inclinação do fio de corte.
 
3º – Costura
Para unir as partes cortadas e formar a peça, podemos utilizar costura manual, pontos de bordado e também costurar o feltro à máquina. Na costura manual, utilizo agulha longa de aço niquelado, desliza melhor entre as camadas. O calibre da agulha dependerá da linha utilizada, acho adequadas as agulha de costura tipo darning ou para quilt.
Quando for costurar o feltro à máquina, lembre-se de limpar com a escovinha a caixinha de bobina, pois ficará cheia de pelinhos do feltro. Tensão 6 é perfeita para 2 camadas de feltro.
As linhas de meada (conjunto de 6 fios) são sedosas, brilhantes e com cores diversas; para pregar pecinhas pequenas dão um acabamento mais delicado, utilizo 1 a 2 fios na agulha.
As linhas de bordar em novelo geralmente são em algodão, cores sólidas e dão uma aparência bastante expressiva, enfatizando os pontos de bordado na peça. Linhas de crochê fininhas também servem para o caseado, assim como linhas de pesponto.
Lembre-se de fazer os pontos com capricho, ajustando a tensão adequada para não enrugar ou deixar folgado o ponto, sempre prestando atenção na altura e distância entre os pontos, para ficar um trabalho harmonioso visualmente.
 
4º – Colagem
Existem diversos tipos de cola no mercado, indico sempre para minhas alunas comprarem vários tipos de cola e testá-las, para ver se é adequado ao seu modo de confeccionar a peça.
Temos as colas frias, adesivos universais, colas quentes, é importante fazer testes no feltro para ver o poder de aderência, o manuseio, tempo de colagem, cheiro, etc. Porém tenha o máximo de capricho na etapa da colagem, nunca permita manchas de cola visíveis, excesso ou falta de camadas de adesivo: isso pode arruinar uma peça bem cortada, e deixar o acabamento sem cuidado; também pode fazer uma peça descolar e chegar às mãos de sua cliente desmontada.
 
5º – Finalização
Essa é a etapa de ornamentação, enchimento, acabamento fino. Escolha ornamentos e aviamentos de qualidade. O enchimento de fibra Santa Fé é um produto excelente para o recheio de bonecas e almofadas, pois não perde densidade. Se for pintar olhinhos, detalhes, utilize tinta apropriada, aperfeiçoe sua técnica, estude, pesquise e aprenda sempre!
Um produto bem feito é valorizado em sua apresentação e entrega, mesmo pelo correio, é possível fazer uma bonita embalagem. Utilize sua criatividade e personalize com seu próprio estilo.Uma característica comum à todas artesãs que trabalham com feltro é o carinho e habilidade com a peça, então use e abuse de seu dom. Finalize com todo o charme e cuidado de um produto que você mesma ficaria feliz em receber!
 
[infobox_warn]Uma dica final é extremamente útil: invista em cursos, workshops e oficinas de trabalhos em feltro. Ver ao vivo e na prática a peça sendo confeccionada lhe auxilia a resolver dúvidas de execução; em todos os estados do Brasil temos artesãs capacitadas a ensinar o que aprenderam em sua vivência. Recebo em minhas aulas pessoas de todas as áreas, de artesãs amadoras à designers profissionais. Cada vez mais tenho visto como o trabalho com feltro encanta a todos.

Frequente feirinhas de artesanato, eventos do setor, acompanhe as novidades nas revistas especializadas, fique a par dos lançamentos, visite lojas bacanas que vendem peças artesanais, veja o que está sendo feito e como está sendo feito; crie seu estilo e valorize seu produto![/infobox_warn]


Observe agora algumas causas de fuga do cliente, segundo uma pesquisa de Antônio Inácio Ribeiro, Colunista-titular do Portal Brasil e Diretor da Odontex, www.odontex.com.br, que encontrou os seguintes motivos para o problema:
0,5 %  Por causas desconhecidas

1,0 %  Por morte dos clientes

3,5 %  Serviço não correspondia ao desejado

5,0 %  Serviço executado sem qualidade

10 %   Concorrente ofereceu melhores condições

15 %   Cliente encontrou preço melhor

65 %   Mau atendimento do profissional ou atendentes

Uma outra pesquisa, realizada pela consultoria Accenture, em 2008 , ouvindo mais de 3,5 mil pessoas nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha, na França, na Austrália, no Canadá, no Brasil e na China apurou que 75% dos brasileiros entrevistados mencionaram que estavam dispostos a mudar de empresa fornecedora caso estas não prestassem o serviço esperado.

Perceba que a primeira parte da venda se refere à oferecer o melhor produto ao público certo. Porém o público busca mais do que um bom produto, um bom serviço de atendimento. E este público está em busca de um novo fornecedor, que pode e deve ser você. A fidelização do cliente é uma enorme vantagem no mercado, e exige muito mais dedicação ao atendimento.

Portanto capriche nas suas peças, e invista em um atendimento de qualidade e personalização.
Boas Vendas, Bons Lucros!
Bjs, Bibi

[infobox fullwidth=”false”]Um presentinho da Alessandra Mattos.
Se você é iniciante ou já sabe que seu dom é o artesanato, que ver assistir um vídeo da Alessandra no programa Ateliê na Tv?
Uma peça que é sucesso, o Passarinho Bordado, serve como lembrancinha para crianças, para batizado, para noivado ou casamento, como móbile decorativo, como sachet, como enfeite de porta, um mimo fácil e lindo.
Nesse link você pode encontrar o vídeo, o molde e fotos com ideias variadas de lembrancinhas que faço e ensino com amor.
Button box-download-alessandra-mattos
[/infobox]

[col4]alessandra-perfil[/col4]
[col2]Participação Especial: Alessandra Mattos – Ilustradora e Professora de Artesanato, Pintura e Arte em Feltro
Venda de projetos exclusivos, cursos e eventos.
Site: http://www.delicale.com.br
Loja virtual: http://www.elo7.com.br/delicale[/col2][col4]festival-lembranca[/col4]

28 Comentários

  1. Ticiana Ribeiro disse:

    Ahhhhh…….Essa professora é um doce, espero encontrar com a Alessandra no stand Santa Fé da mega esse ano.!
    Fui no ano passado e fiz a aulinha dela, adorei e me incentivou a seguir o caminho do feltro.
    Que dicas ótimas, vou aplicar isso em minha produção!!! Vou testar o lance da lixa na tesoura e procurar uma cola melhor, amei o molde do passarinho, vou fazer, obrigada Santa Fé e Alessandra, beijusssssss e feliz páscoa a todas!!!

  2. Amei essas dicas!!!!
    Tenho muita dificuldade em colocaar preço nos meus produtos…

  3. Sempre encantada com as matérias da Bibi. Obrigada Alessandra pelas dicas. Amei!
    Bjs a todas

  4. Adoro seus trabalhos e essa dica da tesoura gostei muito, vou trocar minhas tesouras kkkkkkkkkk, as outras dicas tmb são ótimas, quanto a preços uso as duas margens de lucro tudo depende do que esta sendo confeccionado e da quantidade. Uma feliz páscoa a todos.

    • santa fe disse:

      Oi Renata,
      É preciso muito tato para fazer o “meio de campo” do dia a dia né?
      O mais importante é que no final do mês o trabalho e a renda obtida sejam compensadores.
      Sempre que possível escreva pra gente ok?
      Bjs
      Bibi

      • Oi Bibi,
        Com certeza a renda final sempre conta, não adianta trabalhar o mês todo e no final não obter lucro algum, como vejo muitas pessoas fazerem.
        bjssssssss

        • santa fe disse:

          Oi Renata,
          Levando em conta que queremos profissionalizar a categoria, o mínimo que pretendemos despertar em nossas parceiras é a valorização do produto.
          Temos que fazer boas vendas para contabilizar lucros interessantes, concorda?
          Um grande abraço
          Bibi

  5. roseli mosconi disse:

    gente! Este foi um dos posts mais completos! Gostei muito! Parabéns
    Bibi e Alessandra! quanto a cola ei tenho usado a de eva e tem dado bons resultados, principalmente em
    peças pequenas porque é fácil de aplicar e não aparece a marca da cola. bjs e obrigada por dividir conosco o seu conhecimento! bj

    • santa fe disse:

      Roseli, é um enorme prazer receber sua mensagem.
      Nossa equipe tem trabalhado muito para que cada post venha dar frutos de desempenho e desenvolvimento profissional na vida de cada artesã.
      Mande novidades sobre suas experiências ok?
      Bjs
      Bibi

  6. Simone Celestino disse:

    Amei as dicas!!!! Feliz Páscoa a todas!!!

  7. Essa coluna tem um significado muito especial pra mim, pois a Alê além de grande profissional que admiro, é uma grande amiga minha, a qual estimo muito.
    Quando comecei a me aventurar pelas costuras, tecidinhos, e ousei arriscar-me no feltro, nos bordadinhos, uma das pessoas que mais me incentivou foi a Alê! 🙂
    Agora, tirando o lado amigo maravilhoso dela, tem o lado profissional que nossa, pra mim é de longe uma das melhores profissionais do ramo artesanal… suas peças esbanjam fofura, dedicação e capricho! Uma pessoa que inspira! E as dicas dela nessa coluna foram, como sempre são, objetivas, didáticas e MUITO importantes!
    A parte do desenho…nossa, quantas vezes nos perdemos nos riscos… não é mesmo? Também acho muito mais prazeroso eu mesma desenhar minhas peças (talvez por também ser desenhista como a Alê)… mas adorei a dica da caneta pra bordado… não sabia que existia esse material. Eu já usei vários materiais para riscar no feltro: lápis HB, lápis aquarela, caneta… mas confesso que não achei ainda o material perfeito. Vou tentar essa caneta de bordado!
    A dica da tesoura: preciosa! Realmente é bom separar a tesoura do feltro…. a tesoura do tecido… a tesoura do papel. Porque cada material “danifica” a lâmina de uma forma…
    Sobre a etapa da costura: AMEIIIIIIIIIII !!!! Eu tenho muita dificuldade com o feltro na máquina de costura. A máquina puxa de cá, de lá… e mesmo tendo muito cuidado, não consigo acertar na tensão.. vou tentar agora ajustar a máquina a essa tensão! Valeu Alê!! 🙂 E sobre as linhas, já utilizei também linha de crochê, meada, linha de bordado de novelinho… mas o que mais tenho usado atualmente é linha de meada! Também acho que dá um toque refinado ao bordado / costura. Uso dois fios de meada.
    A colagem… a Alê já havia me dado essas dicas da cola… mas confesso que é uma etapa bem delicada mesmo! E tem muito do nosso jeito de colar, “dosarmos a nossa mão” ao apertar a cola…rs… mas tenho usado mais a cola transparente, fria, estilo universal.
    E o acabamento.. não tem recheio mais gostoso, fofinho e especial que a fibra siliconada da Santa Fé! 🙂 Adoro!! E sobre o trabalho da Alê, acho que nessa etapa ela se destaca muito de muitas outras artesãs pelo capricho e minuciosos detalhes coloridos… ousando misturar bordados super bem feitos com botões, fitas e ornamentos lindos! Sou fã!!!

    E quanto ao valor das peças… nossa, que dificuldade que é formular preço para criação, não é mesmo? E mesmo que façamos um preço justo, há sempre pessoas que querem barganhar em cima, querendo produtos de qualidade por preço de banana. Acho que é, como em todo tipo de atividade de criação, uma questão de grupo, de identidade profissional. Enquanto artesãos, artistas, não derem o valor devido ao seu trabalho, um valor justo, não haverá também clientes conscientes! Precisamos valorizar nosso trabalho! Não quero dizer que precisamos “meter a faca” ao formularmos o preço de nossos produtos, mas valorizarmos o trabalho manual. Quantos clientes nossos pagam muito mais por produtos industrializados, e na hora de comprar um produto único, feito à mão, querem barganhar?
    É um tema polêmico, mas acho que é preciso mesmo uma valorização maior do artesanato… a começar pelos próprios artesãos! 🙂

    Bom, é isso… me empolguei! Mas estou mesmo muito contente acompanhando as colunas do blog! É sempre muito bom discutir essas questões e trocar ideias com colegas do ramo!

    Beijos a todos!!! Em especial a querida amiga Alê! 🙂

    • santa fe disse:

      Juliana, que lindo depoimento!
      Ficamos super felizes em saber que temos opiniões semelhantes e por isso temos certeza de que o Festival da Lembrancinha está apenas começando.
      Queremos que o mercado mude, e sabemos que as mudanças duradouras são feitas a médio e longo prazo. Nós não temos pressa porque queremos que os artesãos entendam que é preciso se profissionalizar, ter excelência no produto para poder cobrar o valor correto.
      Vamos caminhar juntas por este e outros projetos, ok?
      Super bj prá vc!
      Bibi

  8. Mary disse:

    Oi, quero agradecer a todas as dicas que foram dadas ate agora pois isso esta me ajudando muito para colocar o meu cantinho a minha vida profissional em ordem . E bom ouvir das artesãs que amamos os trabalhos que elas já passaram pelo que estamos passando agora cada uma em uma situação.Mas a lição de vida e sucesso nos leva a persistir no negocio . Estou numa luta , mas creio que vou vencer apesar de não ter apoio , mas tenho força de vontade e criatividade pra trabalhar . Obrigada por essas matérias estão enriquecendo e me dando força . Vou continuar seguindo . Amo trabalhar com feltro !!!!!!!!!! Bjokas a todas !!!!

    • santa fe disse:

      Mary, que legal sua mensagem!
      Queremos muito que este projeto Festival da Lembrancinha seja pra cada artesã como uma caixinha de boas novas. Assim, no final do projeto seremos melhores profissionais e de fato conseguir um maior rendimento com o produto que produzimos.
      Por favor, conte mais sobre sua história pra gente ok?
      Um super beijo pra vc!
      Bibi Soares

  9. Joyce disse:

    Ótimas dicas. Não encontrei o site informado. Esta correto?

  10. Isabelle disse:

    Também estou trabalhando com feltro, porem estou com bastante encomendas, e preciso agilizar meu trabalho.
    to querendo comprar uma maquina de costura, porem estou com dificuldades para achar a maquina de costura exata para trabalhar com feltro.
    Pode me ajudar?

    • santa fe disse:

      Olá Isabele!

      Sua mensagem foi enviada para nossos consultores, que te retornarão diretamente por email.

      Atenciosamente,
      SAC – Feltros Santa Fé

  11. renata amarante disse:

    Boa tarde. Trabalho com feltro e gostaria de saber qual a maquina de costura que vocês indicam para melhor fazer o ponto caseado. Obrigada.

    • admin disse:

      Olá, boa tarde!
      Trabalhamos em nossas oficinas com a Janome.
      É uma excelente máquina de costura.
      O modelo 2008 é muito forte e ótimo para o feltro.
      Abraços!
      SAC – Santa Fé

  12. Maria Angélica disse:

    Trabalho com feltro, faço todas as peças à mão, mas quero começar a fazerna máquina, porém nãosei qual a maquina mais indicada para costurar feltro. Gostaria de uma ajuda de vcs para encontrar a melhor maquina para trabalhar com o feltro. Obrigada

  13. Silvia Vasconcelos de Oliveira disse:

    Bom dia!!
    Meu nome é Silvia e adoro artesanato. Eu percebi que existem vários tipos de feltro, uns mais grossos e outros mais finos. Acredito que o mais indicado para bordar deve ser o mais fino. Estes tipos de feltro tem nome? Como peço bo feltro nas lojas??

    Obrigada,
    .Silvia

  14. maria lourdes caneti disse:

    Queria costurar com feltro, minha máquina é singer Facilita. Sou iniciante e queria saber direitinho o número do ponto (acho que o maior, né), a tensão já li que é 6, agora queria saber qual seria o número do DISCO DE PRESSÃO DO PÉ CALCADOR e que número é a agulha e a linha. Obrigada pela atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *